Vinho e poesia. O que mais posso querer? Boa ideia do Delfino para uma segunda-feira

Tem vinho e poesia, então fica difícil resistir ao convite. A bebida de Baco é inspiradora, e como disse o poeta e escritor escocês Robert Louis Stevenson “wine is bottled poetry“. Ou seja, “vinho é poesia engarrafada“. Eu assino embaixo. Quem me conhece sabe que vinho é a minha bebida preferida, seja inverno ou verão. É a bebida que embala conversas olho no olho, que deixa a face levemente ruborizada, que desperta as melhores gargalhadas. Ahhhh o vinho, poderia ficar aqui horas filosofando. Mas vou direto ao assunto. rsrsrsrs

O Delfino 146 convida para uma noite de se embriagar, de se emocionar. Espia o convite aí embaixo e agiliza porque o espaço é limitado. O valor é de R$ 20 e o convidado recebe uma taça de vinho para entrar no clima de inspiração. Ficou com vontade? Então reserve o seu lugar pelo fone 9972-2896 com Abreu Jr.

vinho e poesia

SEGUNDA, DIA 18 DE JULHO

Tema: Vinho e Poesia – Um vinho entre versos e prosa
Horário: 19h
Local: Delfino 146 – Rua Luis Delfino, 146, Centro, Florianópolis.

Argumento: 

A poesia, assim como o vinho, só pode ser sentida, só pode emocionar, só pode “embriagar” a quem se propõe a apreciá-la. Vinho e poesia habitam o mundo da subjetividade e talvez seja verdade que não se pode impor a ninguém um paladar apurado, ou o refinamento das emoções, seja para apreciar um bom vinho ou uma boa poesia.

Na história da humanidade, encontramos inúmeros exemplos nos quais o vinho e a poesia se harmonizam. Cultuado pelos amantes da palavra, principalmente pelos poetas, homens de almas livres, o vinho foi inúmeras vezes imortalizado na arte literária. Paul Claudel, poeta francês, nos diz que “o vinho liberta o espírito e ilumina a inteligência”. Nada mais do que nos possibilita a leitura de um belo poema.

Pensando nisso, e considerando que vinho e poesia se harmonizam perfeitamente, é que nos propomos a vir aqui nos deixar embriagar de corpo e alma. Ou melhor, de vinho e poesia.

Roteiro:
  1. É o vinho que primeiro inspirou os poetas, ou a poesia que os  conduziu à necessidade da embriaguez, como mote para fugir de uma realidade desprovida de emoção, de amor e de delicadezas.
  2. Vinho, poesia e a história da humanidade.
  3. Grandes poetas rendem homenagem ao vinho, o “néctar dos deuses”.
  4. Para se embriagar de poesia e vinho, basta se entregar.
  5. Vinho e poesia, ontem, hoje e sempre.

    vinho e poesiaFoto Instragram Delfino 146

    vinho e poesia

 

Fotos Divulgação

Continue Reading

Veja como usar rolhas de vinho em itens para a casa

Faça o próprio suporte de panelas usando algumas rolhas presas
por anel de alumínio, aquele que usamos para prender a mangueira do gás

O verão vai embora e as temperaturas começam a ficar mais amenas, agradáveis, e também convidativas para aquele momento entre amigos, um bom bate-papo regado à vinho.

Eu sou suspeita, porque esta é a minha bebida preferida. Chegar em casa, abrir uma garrafa e tomar uma, duas taças de vinho é um dos meus prazeres. Se vou para a cozinha preparar uma comidinha (adoro risoto!) e ainda estou acompanhada, esse prazer vai às alturas.

Não sei você, mas diante dessa paixão pelo vinho, acabei guardando muitas rolhas, ainda quando a maioria era de cortiça. Aliás, as rolhas podem despertar a nossa criatividade no universo do décor. E este é o motivo da coluna de hoje. Compartilho aqui diferentes maneiras de aproveitar a rolha em acessórios decorativos. Espiem!

dishfunctionaldesigns.blogspot.com

Uma luminária pendente recheada de rolhas

ETSY.COM B

Que tal um porta-recados?

etsy.com

Recheie este quadro com rolhas e deixe bem à mostra a sua paixão pela bebida de Baco

myhomeideas.com

Achei o máximo esta ideia. Simples assim! Rolhas como puxadores do armário ou de gavetas

urban-objects flickr
Uma poltrona como esta, customizada por centenas de rolhas, deixaria o cantinho do bar ainda mais especial

etsy.com A
Que amor este colar estilizado. Eu, particularmente, não sou do champanhe, mas a ideia tá valendo. Pode ser uma peça de uso pessoal ou servir como pingente para pendurar em algum cantinho do lar, declarando a sua paixão pela bebida

Continue Reading

Copos que balançam, mas não caem. Boa dica para um aperitivo aqui e acolá

(Foto Fancy.com)

Eu sou uma amante do vinho. Quem me conhece, sabe. Leia-se: vinho tinto. Quando encontrei estes copos, a descrição destinava-se a um utilitário feito para a experiência do vinho. Eu ainda prefiro taças. Mas não vou mentir. Adorei esta versão de copo “balança mas não cai”. Ele é indicado para a bebida dos deuses, mas nada impede que possa ser usado para servir aquela cerveja gelada ou drinques. Agora no verão, até para rechear com sobremesa tá valendo.

O design sueco da série de copos de vidros Cupa é criação de Daniele Semeraro, dono da Sempli.

(Foto sempli.com)
(Foto sempli.com)

Conheça mais sobre o Sempli aqui.

 

Continue Reading