Fuja do tradicional customizando seus próprios enfeites de Natal

Guardanapo dobrado dá forma a uma árvore de Natal. Boa ideia para levar à mesa da ceia. Veja logo abaixo o passo a passo de como dobrar.

O clima natalino já me pegou. Não tem como não se sentir contagiada pelo efeitos da festa. Você não precisa superdecorar a sua casa, mas pequenos detalhes fazem toda a diferença. Se não gosta de ir no óbvio, então crie. A internet é um prato cheio de inspirações. Eu pesquei algumas ideias e compartilho aqui no Feito Casulo. O ponto de partida foi dado, agora mãos à obra. Entre na brincadeira e deixe-se contagiar também. Sempre vale a pena.

Tente fazer:

dobradura de guardanapo

cookCompotas de vidro dão lugar a velas estilizadas para iluminar a mesa da ceia no dia 24
(Foto Cook Me Tender, Reprodução)

d1e03a582eadd568dfa721c7cf2a9c2cCarinhas de renas para enfeitar as bolachinhas de Natal
(Foto Moje Wypieki, Reprodução)

DIY-Pallet-Christmas-Tree-by-REdhead-Can-Decorate-768x1024Pinheiro customizado sobre um pallet com luzinhas e enfeites natalinos
(Foto redheadcandecorate.com, Reprodução)

guirlanda gramposGrampos de roupa pintados e contas vermelhas viram uma guirlanda da hora
(Foto Pinterest, Reprodução)

lata natalPinte uma lata de vermelho, amarre um cinto preto ao redor e tenha um vaso natalino.
Eis a vestimenta que lembra o bom velhinho

(Foto Pinterest, Reprodução)

maggiemakesPesos de porta em forma de estrela sobrepostos sobre um pedaço
de madeira viram uma árvore cheia de charme

(Foto Magie Makes, Divulgação)

villartedesign-artesanato.com.brNem o jardim fica de fora. Eu achei um mimo estas
toras de madeira pintadas com a carinha do Papai Noel

(Foto villartedesign-artesanato.com.br)

Continue Reading

Plantação de marcarrões coloridos

+ de arte urbana

Natal, no Rio Grande do Norte, foi palco para a obra artística do criciumense Joelson Bugila (foto). Seu projeto Plantação da Forma do Vento, selecionado entre 197 candidatos de todo o Brasil, fez parte da programação do Arte Praia 2014, evento que apresenta anualmente intervenções de arte na orla urbana da capital potiguar.

Bugila, que hoje tem residência fixa em Florianópolis, desenvolveu na Praia do Forte (em Natal) uma instalação efêmera com 1.350 macarrões coloridos, a base de espuma. O resultado do processo criativo pode ser conferido no último final de semana, quando a cidade recebeu alguns jogos da Copa do Mundo de Futebol.

– O vento foi meu parceiro nesta intervenção, influenciando no movimento das espumas, criando uma forma, um desenho único. A instalação tem o propósito de aproximar a população com a arte contemporânea, provocando situações reflexivas em seus habituais espaços de convivência – festejou o artista.

O bacana da instalação, ainda segundo Bugila, foi toda a troca durante o processo de montagem e desmontagem da arte. Entre algumas pessoas que Bugila conheceu está o professor Miltão, que ministra aulas de hidro na piscina natural da Praia do Forte em Natal.

– Fizemos uma ação conjunta na desmontagem da obra. O professor convocou um aulão com a comunidade e fizemos a doação dos macarrões – disse Bugila. 

Continue Reading

O vaivém da vida

 

 

Balanço em casa

Balanço em casa

Porta dentro de outra porta

Porta dentro de outra porta

Estas imagens “bonitinhas” que encontrei no blog da Kika Reichert me fizeram voltar alguns anos atrás. Parece que me vejo reduzindo de tamanho – como num filme da Sessão da Tarde – para passar por esta portinha e até mesmo indo e vindo no vaivém do balanço. Quando era criança, na fase pré-adolescente, lembro de dizer algumas vezes para os meus pais que eu queria crescer logo, ser grande para poder fazer aquilo que desse na telha, sair sozinha, namorar, ser independente. E eles me diziam:
“Aproveita bastante agora, brinca, estuda, aproveita enquanto pode”. Claro que eu ouvia aquilo e ficava indignada. Entrava por um ouvido e saía pelo outro. Hoje, dona do meu próprio nariz, compreendo as sábias palavras dos meus pais. É bom demais ser adulto, mas melhor ainda é a sensação de liberdade, a ingenuidade, a despreocupação dos tempos de criança. Saudade daqueles anos, moleca de rua, de pés descalços. E o tempo não volta. Por isso, é sempre bom lembrar que os melhores momentos da vida estão nas pequenas coisas, na relação com a família, nas boas lembranças. Independente da fase da vida, temos que fazer o que estamos a fim e não deixar para depois. Afinal, não devemos nos arrepender daquilo que fizemos, mas daquilo que deixamos de fazer. E ao ver estas fotos me pergunto: por que não fazer uma porta menor dentro de outra porta? Por que não ter um balanço dentro de casa? Muita ousadia? Prefiro pensar em originalidade, experimentação, coragem. Não temos que ser iguais, nos basearmos em parâmetros. Se ainda resistimos em mudar algo em nós, quem sabe podemos começar a mudar a nossa casa, o ambiente em que vivemos. Hein? Deixo esta indagação. Decore a sua vida e feliz Natal!

 

Continue Reading