Artista Diogo Vaz Franco apresenta performance acrobática no solo Prometeu

Espetáculo gratuito que tem inspiração na história da mitologia grega estreia no dia 15 de junho, às 19h30, no Jurerê Sports Center, em Florianópolis

Prometeu, o titã grego que capturou o fogo dos deuses e entregou-o aos homens, sempre povoou os pensamentos do artista Diogo Vaz Franco. A potência poética do personagem abria muitas possibilidades de entendimento e criação, especialmente, no trabalho de acrobacias circenses, linguagem de movimento que ele pesquisa há mais de uma década.

Agora, com a conquista do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, no primeiro semestre deste ano, Diogo passou a encarar o mito de frente e transportar a história para o corpo. O resultado deste processo ele apresenta no dia 15 de junho, às 19h30, no solo Prometeu, no Jurerê Sports Center (JUSC). A entrada é gratuita.

“O mito de Prometeu fala sobre o amor do criador sobre a criatura. Prometeu é um titã, com acesso a todos os privilégios das divindades, mas que tem o desejo de subverter essa relação desigual/desleal, sem se importar com as conseqüências. Ele abala o poder instituído através de brechas que encontra (ou cria). Seu ato maior foi ter roubado (ou devolvido) o fogo à humanidade. Prometeu sofre as consequências de seus atos, em nome do bem maior, como um mártir, um herói.”   Diogo Vaz Franco

“Dentro das artes circenses, não é comum ver espetáculos solo acrobáticos. A proposta deste projeto é trazer para o âmbito das acrobacias (aéreas e solo) o movimento já existente na palhaçaria: a atuação circense em espetáculos solo. A personalidade de Prometeu será revelada dessa forma. O personagem que sempre usa de artimanhas e estratagemas para ludibriar os deuses em prol da humanidade, me inspira no trabalho com acrobacias de solo, enquanto seu destino cruel em ser acorrentado a uma montanha por ter roubado o fogo dos deuses, remete diretamente às acrobacias aéreas. Assim como na Grécia Antiga, onde os mitos existiam como forma de entender a vida, acredito que a história serve como metáfora para pensarmos nossa realidade. Em nossa contemporaneidade, na situação política, social e ética que vivemos, podemos lançar mão desta figura histórica para pensar o mundo, e pensar em nós mesmos diante deste mundo”, contextualiza o artista performático.

O processo criativo

Livros, textos acerca do tema, poemas, discussões e interpretações. Foi vasto o material organizado na primeira fase do projeto e, logo após, diluído em elementos-chave que mapearam os personagens e os atos contidos no conto. “Estudamos as possíveis linguagens de movimentação. Trabalhamos dinâmicas, como por exemplo, a cena que Diogo atravessa alguns percursos pisando nos livros, remetendo ao roubo do fogo e o ato de levar o poder-conhecimento à humanidade. Selecionamos técnicas de elementos acrobáticos, criamos sequências, injetando toda a parte contextual e interpretativa do mito”, explica a diretora do espetáculo Nickolle Abreu.

Dos elementos presentes em cena, o fogo representa o poder do conhecimento e também a dualidade. Segundo o filósofo e músico Paulinho Brandão, que contribuiu com dramaturgia no processo criativo do espetáculo, a história questiona até que ponto o excesso de conhecimento não é o motor da desmedida ação do homem. E ainda lança a pergunta: “Como frear essa arrogância irracional que nos conduz? Essas reflexões, que a meu ver são questões atualíssimas, se pensarmos no desenvolvimento técnico que nos põe em xeque diante da natureza, são na verdades suscitadas no próprio mito de Prometeu”, argumenta.

SERVIÇO:

O que: Estreia do Solo Prometeu
Quando: 15 de junho
Horário: às 19h30
Onde: Jurerê Sports Center (JUSC), em Jurerê Internacional
Endereço: Av. dos Dourados, 481 – Jurerê, Florianópolis
Entrada: Gratuita
Vagas: 150 lugares

Ficha Técnica

Direção: Nickolle Abreu
Acrobata: Diogo Vaz Franco
Trilha Sonora: Hedra Rockenbach
Técnico: Jean Machado
Assessoria Dramatúrgica: Paulinho Brandão
Apoio: Circocan e Jurerê Sports Center

*** Texto com informações da assessoria de imprensa.

Fotos: Cris Prim

Continue Reading

Espetáculo Entrepartidas estreia em Florianópolis

Peça será encenada durante uma viagem de ônibus pelas ruas da cidade e abordará as relações humanas

Uma viagem sobre o amor e o abandono, sobre o efêmero das relações contemporâneas onde os personagens se encontram e se desencontram com o público e a cidade. Resultado de dois anos de pesquisa do grupo Teatro do Concreto, de Brasília, o espetáculo Entrepartidas, selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura, começa sua nova turnê. O desembarque desta vez é em Florianópolis, onde a peça será encenada entre os dias 21 e 24 de março.

Com três horas de duração e a participação de 15 atores, a peça tem início no Terminal Urbano Cidade de Florianópolis, no Centro. O roteiro se desenrola durante uma viagem de ônibus com paradas em diferentes pontos da capital catarinense.

Responsável pela renovação da linguagem cênica na região Centro-Oeste, Entrepartidas fortalece a pesquisa do Teatro do Concreto, ao longo dos últimos 16 anos de atividade, ligada à performance e à intervenção urbana.

“Nos interessa falar dos pequenos encontros, das paixões, do fim das relações. E a cidade é o lugar onde isso acontece. Entrepartidas é um encontro com a cidade, é também uma oportunidade de vivenciá-la de outra forma, pois a cidade é uma questão para a sociedade, ela também quer participar”, define o diretor Francis Wilker sobre a dramaturgia assinada por Jonathan Andrade.

São três horas de espetáculo, encenado dentro de um ônibus. A peça tem início no Terminal Urbano da Cidade de Florianópolis. Durante o trajeto pela cidade ocorrem várias paradas

Nesta formatação, a peça ocorre em espaços públicos, ampliando ainda mais o alcance da plateia em diferentes locais, e também em ambientes fechados, sujeitos à lotação de 30 pessoas. As apresentações serão encenadas independente das condições climáticas* e contarão com instrumentos de acessibilidade para deficientes auditivos (Libras) e, na sexta-feira (dia 21), com audiodescrição para deficientes visuais. Os ingressos custam R$ 20 e estarão disponíveis para compra no site www.sympla.com.br

Entrepartidas ganha as ruas do país a partir da seleção pública do Programa Petrobras Distribuidora de Cultura, em parceria com o Ministério da Cidadania, cujo objetivo é contemplar projetos de circulação não inéditos. No último edital foram investidos R$ 15 milhões na escolha de 57 espetáculos representantes de todas as regiões do Brasil e com encenação em todos os estados.

Além das quatro apresentações, uma delas exclusiva para uma escola pública da cidade (dia 21), participante também de uma ação de mediação, e as outras três para o público em geral (de 22 a 24), o Teatro do Concreto promove ações gratuitas com estudantes e artistas de Florianópolis:

A atividade EntreOlhares será conduzida com alunos do Ensino Médio de uma escola pública da Capital com o objetivo de formação de plateia a partir de três momentos distintos conduzidos pela arte educadora Paula Gotelip com assessoria pedagógica de Glauber Coradesqui. Num primeiro momento, a oficina Cartografia de Afetos levará os alunos a vivenciar o trajeto do espetáculo e suas percepções sobre estes espaços e a cidade; em seguida, eles irão assistir à primeira apresentação de Entrepartidasem Florianópolis, no dia 21, para que possam refletir sobre os temas e as questões levantadas pela peça em seu diálogo com o tecido urbano. Para finalizar, produzirão uma carta à cidade que será exposta no site do Teatro do Concreto, assim como nas mídias sociais do grupo.

Fotos: Diego Bresani

SERVIÇO

Entrepartidas
De 21 a 24 de março de 2019 (a sessão do dia 21 é exclusiva para estudantes)
Hora: 19h30min
Local (embarque e desembarque): Terminal Urbano Cidade de Florianópolis
Endereço: Rua Antônio Luz, s/nº, Centro, Florianópolis
Capacidade: 30 pessoas
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) pelo site www.sympla.com.br 
Duração do espetáculo: 3h
Classificação indicativa: 16 anos


Continue Reading