ExpoRevestir 2019: marcas de SC apresentam seus lançamentos

Profissionais da arquitetura e decoração de todo país estão em SP para conferir as novidades da 17ª edição da ExpoRevestir – maior e mais importante feira do setor de revestimentos e acabamentos da América Latina – e que encerra nesta sexta-feira, dia 15. Circuito obrigatório no mês de março para quem quer conhecer o que está por vir neste mercado que investe em inovação e tecnologia. Não por menos o evento é conhecido como a fashion week da arquitetura. Além de apresentar as principais tendências, trazer conteúdo por meio de palestras, exposições interativas e instalações, a feira é um palco para negócios, local para ampliar e estreitar contatos diretamente com fabricantes.

A ExpoRevestir 2019 ocupa 40 mil metros quadrados do Transamérica Expocenter com cerca de 200 expositores – mais de 40 marcas internacionais – dos setores de cerâmicas, louças sanitárias, metais para cozinhas e banheiros, rochas ornamentais, laminados, madeiras, mosaicos, cimentícios, vítreos, máquinas, insumos e soluções especiais.

Santa Catarina não poderia ficar de fora, afinal, o Estado tem empresas do segmento que são referência mundial no mercado cerâmico e de porcelanato. Por isso, aqui, vou dividir com vocês alguns dos lançamentos apresentados por algumas dessas empresas nesta edição da ExpoRevestir. Vamos lá!

Portobello – Coleção In Your Dreams. In Your Home

Paysage Nature​: a linha apresenta a azulejaria interpretada com tecnologia e design, com o uso da serigrafia para estampar as peças em uma versão com impressão digital e pigmentos de última  geração. Uma tradução da “natureza em casa” com a grande  diversidade de desenhos botânicos que formam painéis decorativos. O azul do céu e do mar e o verde dos jardins e florestas reforçam a  presença da natureza no design de interiores.

Paysage Nature

Puro: co-criação com Cecilie Manz, designer dinamarquesa, eleita em 2018 pela Maison & Objet, como a profissional do ano, que tem como princípio criativo conhecer todas as características do material, técnicas e tecnologias disponíveis no processo produtivo e, a partir daí, propor algo minimalista, mas que desafia os limites, tanto do material, quanto da técnica. Puro é a cerâmica artesanal, moldada à mão, cortada com os artefatos usados pelos artesãos e artistas. Cecilie define como: “Uma composição com o mínimo: somente o suficiente. Texturas microscópicas sutis, flexíveis, diferenças de altura arquiteturais e organizadas”. Puro possibilita texturas, superfícies, cartela de cores e composições que se transformam em matéria-prima para ambientes que combinam sofisticação máxima, traduzida em simplicidade.

Puro – co-criação com a designer dinamarquesa Cecilie Manz

Dentro da Officina Portobello, quando são desenvolvidos produtos diversos para mobiliar a casa a partir da arte da porcelanateria, também tem novidades. O catarinense Jader Almeida assinou a coleção Sonatta.

A série de peças é composta por mobiliário para banheiros e lavabos. A matriz desse objeto em porcelanato recebe recipientes, apoios e acessórios em madeira, metal ou vidro, que, além de gerarem uma solução customizada, possibilitam que ela seja atualizada em qualquer momento. É uma composição interativa e sempre aberta a novas possibilidades.

Cuba da coleção Sonatta, assinada por Jader Almeida


Cerâmica Portinari – Coleção Joy MZ

A grife apresenta 175 produtos distribuídos em 29 coleções. Entre as novidades, o destaque é a coleção Joy MZ, assinada pela arquiteta Marília Zimmermann. Com a forma geométrica de losango, formado por dois triângulos equiláteros, esta coleção alegre tem a textura granulada do papel usado para pintura em aquarela. São diferentes tonalidades em tom pastel que podem ser usadas tanto na parede quanto no piso.


Eliane Revestimentos – conceito Liberdade Criativa

Alicante – O azulejo extrai as tonalidades presentes na histórica Alicante – cidade espanhola emoldurada pelo mar Mediterrâneo e com arquitetura retrô preservada – para criar uma paleta cromática mais saturada, intercalando a dualidade de cores quentes e frias. Estes tons são transportados para as superfícies cerâmicas em formatos retilíneos que prestam referência ao passado, mas de modo contemporâneo.

Coleção Alicante

Vibra Hexa Amarelo – O azulejo artístico conecta a alegria e a vivacidade da cor amarela – principal tonalidade do conceito Liberdade Criativa – ao lúdico padrão geométrico contínuo em hexagonal, resultando em uma estética contemporânea em paralelo a um mood mais otimista e vibrante.

Vibra Hexa Amarelo

Noronha Jade – Inspirado na beleza e translucidez das águas que banham a paradisíaca ilha tropical, a cerâmica mescla diferentes nuances verde azuladas que exploram o frescor da região costeira de Fernando de Noronha, em uma releitura da serenidade praiana. A cerâmica de pequeno formato volta aos holofotes da decoração – a novidade mede 7,5×7,5cm –, possibilitando maior variedade de paginações, indo de paredes a piscinas.

Noronha Jade


Cerâmica Elizabeth – coleção Conexão Humana

Oxi Porcelanato HD Polido e HD Polido Matte: A linha Oxi faz referência ao concreto e ao metal, materiais presentes no meio urbano e em plena evidência nas paginações da arquitetura moderna. Os materiais com a aparência desgastada pelo tempo ganham espaço no design industrial e se revelam nos tons Black, Corten, Coffee, Gray e Bone. A possibilidade de ter produtos nos acabamentos HD Polido e HD Polido Matte nessa linha oferece diferentes oportunidades de composição personalizadas, com texturas brilhosas, foscas ou até intercaladas.

Oxy Corten HD Polido no piso e Oxy Corten HD Matte nas paredes

Panda Porcelanato HD Polido: uma das principais apostas da cerâmica Elizabeth nesta edição da ExpoRevestir exalta o clássico contraste do preto com o branco em um design contemporâneo, tendência com forte presença nas principais mostras de design da Europa. Versátil, o produto cabe com perfeição em ambientes modernos e retrô, em pisos, paredes ou bancadas.

Panda Porcelanato HD Polido


Ceusa Revestimentos – conceito Cada Casa é um Caso

Mosaico Era e Mosaico Trama Lisboa – Traduzir as aspirações individuais de conforto, levando sempre em conta as cores, texturas e formatos variados, onde a imponência visual é revelada sob diversas formas e linguagens estéticas. Desta forma a Ceusa trabalha o conceito “Cada casa é um caso”. Entre os lançamentos no mercado nacional estão a estética natural e imperfeita da linha de mosaicos. Neste segmento as novidades são os Mosaicos Era, assinado pela arquiteta catarinense Juliana Pippi (que apresentou o produto no ambiente da Mostra CasaCor SC Florianópolis 2018) e o Trama Lisboa, assinada pelo arquiteto pernambucano Osvaldo Tenório.

Mosaico Era por Juliana Pippi. Lançado na CASACORSC Florianópolis 2018
Foto: Mariana Boro
Mosaico Trama Lisboa por Osvaldo Tenório
Mosaico Trama Lisboa Bege

InvertidoUm produto que segue a tendência americana na decoração e cria lindos painéis de pequenas tijoletas, permitindo variadas amarrações nas cores preto, branco, fendi e verde, agora na versão acetinada.

Invertido verde
Continue Reading

Ganhador do prêmio internacional Riba 2018 participa da Agenda do Design do CasaHall Design District

Arquiteto Pedro Duschenes, do Aleph Zero, um dos escritórios responsáveis pelo premiado projeto Moradias Infantis, realizado no Tocantins, vem a Balneário Camboriú dia 14 de março para um bate papo gratuito com profissionais da área

Mais do que simplesmente executar uma obra arquitetônica para atender uma demanda específica, é ver como a arquitetura, na sua essência, também tem o poder de transformação social. Um exemplo é o projeto Moradias Infantis, executado no Tocantins, uma co-criação entre os escritórios Aleph Zero e Rosenbaum. O trabalho que acaba de conquistar o prêmio do Instituto Real de Arquitetos Britânicos – o Riba 2018, será tema da programação da Agenda do Design do CasaHall Design District neste mês de março.

A convite, o arquiteto Pedro Duschenes, um dos titulares do Aleph Zero, participa no próximo dia 14, às 19h30, de um bate-papo com profissionais de arquitetura e design. Na pauta, detalhes sobre o processo criativo da obra de 23.344,17 m2, realizada na comunidade de Formoso do Araguaia.

Arquiteto Pedro Duschenes do escritório Aleph Zero
Foto: Vinicius Postiglione

“Ter o reconhecimento de uma das principais associações de arquitetura no mundo evidencia a coerência do trabalho realizado e aponta que as questões levantadas, embora profundamente ligadas aos problemas locais, reverberam para além das fronteiras nacionais”, pontua Duschenes sobre a conquista do Riba 2018.

O Aleph Zero – hoje com unidades em Curitiba e São Paulo – atua em áreas que abrangem desde o desenho de mobiliário, exposições, arquitetura residencial e comercial até projetos de escala urbana, tanto para clientes do setor público quanto do setor privado. O escritório que já conquistou várias premiações ao longo dos anos foi, inclusive, vencedor do Concurso Nacional de Arquitetura para o Vão Central do Mercado Público de Florianópolis. O mesmo projeto foi finalista do 4° prêmio de arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel.

Interessados em participar da conversa com Pedro Duschenes podem fazer as inscrições gratuitamente pelo link https://www.even3.com.br/agendadodesign. A programação das próximas palestras mensais pode ser acompanhada nas mídias digitais do CasaHall.                                                                        

Pormenores do projeto premiado Moradias Infantis

O Moradias Infantis surgiu para atender às necessidades de estudantes, de 13 a 18 anos, da escola de Canuanã, que é mantida pela Fundação Bradesco. Devido às dificuldades financeiras e grandes distâncias inerentes ao local, a maioria das famílias não tem condições de se deslocar diariamente até o local. Por isso, além de ambiente de estudo, a instituição assumiu também a função de casa. E aí nasceu o projeto, a fim de criar uma estrutura adequada para os alunos do complexo escolar.

Segundo Duschenes, o ponto de partida foi compreender as riquezas e contradições do local, o que foi possível graças a duas grandes viagens de imersão e de um processo colaborativo com alunos, pais, professores e funcionários da escola.

“Nestas visitas observamos a necessidade de se re-estabelecer a valorização da cultura local, do senso de pertencimento, desenvolvimento da noção de individualidade e de fomentar o entendimento dos alojamentos como uma casa de fato, não como complementação do local de estudo”, explica o arquiteto.

A implantação das novas moradas visou reorganizar a distribuição programática da escola diferenciando o eixo educacional do eixo habitacional. Organizado em duas vilas, uma masculina e outra feminina, o novo layout dos quartos, com menos alunos por unidade (seis), permitiu maior conforto e facilitou o desenvolvimento de um senso de individualidade que faltava nas instalações anteriores.

Na construção que durou 14 meses, destaque para a utilização de madeira laminada colada em sua estrutura (uma das maiores obras com madeira da América Latina), e tijolos de solo cimento fabricados com o terra do próprio local. Além dos dormitórios e banheiros com capacidade para 270 meninos e 270 meninas, o complexo ganhou também espaços de convívio como sala de TV, espaço para leitura, varandas, pátios, redários.

“A arquitetura complementa o importante projeto educacional realizado pela Fundação Bradesco. Ela busca também atuar de forma didática, mostrando em seus encontros e detalhes um modo de construir. Espera-se que essa forma de fazer o espaço permeie as experiências dos alunos, para que se sintam de alguma forma compreendidos e abrigados nesse novo local e que possam levar isso para além do período escolar”, finaliza Duschenes.

SERVIÇO
Agenda do Design – CasaHall Design District
Palestra com arquiteto Pedro Duschenes, do Aleph Zero
Quando: 14 de março, 19h30
Público: Arquitetos, Designers, Decoradores
Inscrições gratuitas pelo link:  https://www.even3.com.br/agendadodesign


Fotos do complexo escolar: Leonardo Finotti

Continue Reading

Galeria Pedra em Florianópolis recebe exposição de fotografias intitulada 3×3=1

Para comemorar o lançamento de três livros, de três artistas diferentes e complementares sobre três assuntos que envolvem a fotografia, a Galeria Pedra (localizada na Casa Quatro) recebe a exposição 3 x 3 = 1, em Florianópolis. 

Os títulos, recentemente publicados pelo Creative Process, do canadense Scott MacLeay, apresentam os trabalhos dos fotógrafos de novas mídias: Quadrichromie 1978-1988, do próprio Scott MacLeay; Metamorphosis 2013-2017, de Marco Giacomelli (foto de abre deste post), e Viva a Vida, de Lauro Andrade.

A mostra abre no próximo dia 15 de março. No total, serão 11 fotografias expostas e uma instalação.

Quadrichromie 1978-1988, Scott MacLeay

Mestre em Economia pela London School of Economics, Scott deixou o doutorado para seguir carreira em Vancouver, Canadá, em meados dos anos de 1970. Viveu na França e trabalhou em Paris e Nova York por 30 anos, antes de se mudar para Florianópolis, em 2010. Desde então, dedica-se à fotografia autoral, vídeo-arte e criações de novas mídias, além de continuar sua paixão por compartilhar experiências por meio do ensino.

“Durante minha carreira, nunca me interessei em publicar livros meus. Sempre me concentrei em produzir novos trabalhos para exibição. Depois de 40 anos produzindo nas áreas de fotografia, novas mídias e música, o tempo parecia certo para dar uma olhada no material que criei. Tive distância e habilidade suficientes para poder vê-lo sob uma nova perspectiva”, diz Scott, que também é o curador dos livros e da exposição.

A mostra segue em cartaz até 30 de março. Em seguida, no dia 11 de abril, a Galeria Pedra recebe Introspecções, da artista e fotógrafa Juliana Stringhini Ruchita.

Quadrichromie 1978-1988, Scott MacLeay

Sobre as obras

METAMORPHOSIS 2013-2017,de Marco Giacomelli, representa a jornada de quatro anos inspiradas pelo ambiente natural de seu lugar de origem, a Ilha de Santa Catarina. Escolher investigar o poder da abstração em trabalhos que versam sobre paisagens é simplesmente uma celebração do permanente e do efêmero, com base nas experiências emocionais e sensações instigantes despertadas pelo seu olhar.

QUADRICHROMIE 1978-1988, de Scott MacLeay, é uma obra captada durante os anos de 1980 em Paris e Nova York. O título reflete a evolução de seu trabalho analógico em cor realizado em Vancouver e Paris. O crítico de arte de Nova York, Allen Ellenzweig, descreve assim o universo criado por MacLeay: “Empregou câmera, modelos, cores e composições esparsas para criar imagens de tal precisão e graça que alcançam não o bombardeio do poema épico, mas o sussurro revelador por um haiku japonês”.

VIVA A VIDA, de Lauro Andrade, descreve suas viagens pelo mundo com um propósito singular: elas são autobiográficas. Constituem uma maneira de ganhar perspectivas valiosas em sua jornada pessoal. São espelhos e janelas que trazem clareza e profundidade aos seus pensamentos sobre o seu lugar no universo. A magia de Andrade é encontrada em sua capacidade de identificar e revelar significados onde aparentemente não há importância.

Viva a Vida, de Lauro Andrade

O quê: Exposição 3 x 3 = 1
Onde: Galeria Pedra (Casa Quatro Oito) – Rua João Henrique Gonçalves, 1.005, Canto dos Araçás
Visitação: de 15/03 a 30/03
Horário: de terças a sábados, das 18h às 22h
Entrada gratuita

Continue Reading