Corporate Park comemora 10 anos em Florianópolis

Primeiro parque corporativo de grande porte da cidade, empreendimento é pioneiro em sustentabilidade e ajudou a impulsionar o setor de tecnologia na Capital. Hoje se consagra como um hub de TI, convivência, cultura e lazer

Quando abriu as portas, há 10 anos, não existiam em Santa Catarina parques corporativos de grande porte e com infraestrutura especializada e apta a sediar empresas de TI. O Corporate Park foi pioneiro também em aplicar conceitos de sustentabilidade na construção. Em 2019 o empreendimento comemora 10 anos e ainda mais conectado ao futuro. Além de novidades e modernizações no empreendimento, promove o Corporate in Jazz, nesta sexta-feira, 28 de junho, espetáculo de jazz e música instrumental com um quinteto e que marca o aniversário oficial, exclusivo para convidados. 

Dentre os projetos que marcam esta primeira década do Corporate Park estão a modernização da estrutura de 24 mil metros quadrados na SC-401, próxima ao acesso de Santo Antônio de Lisboa. Em maio iniciou a implantação do sistema de energia solar. Ainda em junho será inaugurado um espaço de Coworking (gerido pelo Cool2work) e a cervejaria OnBeer, que abre as portas no espaço amanhã, 29 de junho. Outra novidade é a Blueticket, gigante empresa de TI que gerencia e vende ingressos para eventos e que se muda para o empreendimento até o final do mês. 

“Criamos um conceito que não existia em Florianópolis: o de parques corporativos, onde as empresas, sobretudo de TI, poderiam ter amplos espaços com alta tecnologia de construção e comunicações. Tudo isso aliado a áreas verdes, estacionamento amplo, acesso fácil e estrutura de serviços”, afirma Felipe Campos Didoné, diretor da Rá Incorporações – empresa responsável pela construção e administração do empreendimento.

O Corporate Park virou referência para outros empreendimentos que foram inaugurados depois no Norte de Florianópolis – na época, era uma região nova, considerada fora do circuito central da Capital e carente de empreendimentos comerciais. Passada uma década, o espaço segue atual em termos de tecnologia e sustentabilidade e é competitivo em preço de aluguel e condições de locação.

Corporate Park ajudou o mercado de TI a crescer

Algumas das mais importantes empresas do mercado de Tecnologia da Informação do Estado hoje estão sediadas no Corporate Park: DOT Digital Group, Paradigma, Cianet, Pixeon, Wplex, Seventh, Delinea, Clipescola, Checklist Fácil, Gestão OPME e Aqtech, entre outras.

Em 2009, o setor de TI já era forte em SC e desde então o mercado cresceu como um todo, graças à chegada de novas empresas de fora e ao aumento de aportes e fundos de investimentos.

“Cerca de 70% do Corporate Park está ocupado por empresas de tecnologia. Quando inauguramos, a carência de espaços adequados era um gargalo para o crescimento das organizações. O Corporate Park contribuiu para que muitos negócios pudessem crescer nesse período. Alguns inclusive tinham filiais em outros estados e poderiam ter direcionado investimento para outros locais caso não tivessem encontrado na cidade um bom espaço”, relembra Didoné.

O fato de a ACATE (Associação das Empresas de Tecnologia) ter mantido uma incubadora de empresas no Corporate Park também contribuiu para que muitas empresas se desenvolvessem. É importante ressaltar a contribuição disto tudo para Florianópolis, principalmente com a criação de empregos e recolhimento de tributos — ressalta o diretor.

Felipe Campos Didoné e Frederico Didoné, da Rá Incorporações, empresa responsável pela administração do Corporate Park

Cinema alternativo e diálogo com a cultura da cidade

O Corporate Park ficou conhecido em Florianópolis também por sediar uma das únicas salas de cinema com programação exclusiva de filmes alternativos e fora do circuito mainstream: o Paradigma Cine Arte. Inaugurado em 2010, o cinema é um projeto cultural da Rá Incorporações com apoio da Paradigma Business Solutions. Foi criado com o objetivo de preencher a lacuna deixada pela pouca oferta de programação cultural com mais conteúdo na Capital. Hoje o Paradigma tem um público fiel, recebe uma média 4 mil espectadores por mês e já exibiu cerca de 1,5 mil filmes de mais de 30 países.

“O Paradigma tem contribuído muito para a cena cultural da cidade, não apenas pela programação exclusiva, mas também por trazer festivais internacionais, como Festival Varilux de Cinema francês; promover debates, como o Ciclo Cinema e Psicanálise; e dar incentivo a projetos locais, muitos com entrada gratuita”, pontua Felipe Didoné.

Além do cinema, o empreendimento dialoga com a cultura da cidade por meio de apoio e patrocínio a projetos como o Hoje é dia de Jazz Bebê, Museus Virtuais eo documentário Ilha Inovação Sustentável, entre outros.

Pioneirismo em sustentabilidade

O Corporate Park foi pensado para ter o mínimo impacto ambiental. O empreendimento foi inovador em administração de recursos hídricos e hoje tem 100% da água coletada e tratada, a água da chuva é reutilizada para reciclagem da água dos lagos e a água tratada é utilizada para a irrigação dos jardins. Em parceria com a Engie, o empreendimento inaugura a primeira fase do projeto de abastecimento com 100% de energia solar.

Outra característica é o extensivo paisagismo, que atua como uma barreira e filtro para os gases poluentes vindos da rodovia SC-401 e ainda protege do barulho. A partir do conceito de ecossistema urbano – afinal, áreas verdes melhoram a saúde mental e física das pessoas – o Corporate Park possui espaços com plantas, flores e lago para descanso, exercícios e até mesmo reuniões.

O Corporate Park em números

24 mil metros quadrados num terreno de 27,5 mil metros quadrados
Inaugurado em maio de 2009 
60 empresas instaladas
850 pessoas (colaboradores dos negócios instalados) 
400 vagas de estacionamento 
90% de ocupação
70 salas comerciais 
7 salas de reuniões

Agende-se

Corporate in Jazz – 10 anos do Corporate Park
Quando: 28 de junho
Onde: Corporate Park (Rod. SC-401, 8.600, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis)
Quanto: gratuito. Evento exclusivo para convidados

Fotos: Arquivo / Divulgação


Continue Reading

Artista Diogo Vaz Franco apresenta performance acrobática no solo Prometeu

Espetáculo gratuito que tem inspiração na história da mitologia grega estreia no dia 15 de junho, às 19h30, no Jurerê Sports Center, em Florianópolis

Prometeu, o titã grego que capturou o fogo dos deuses e entregou-o aos homens, sempre povoou os pensamentos do artista Diogo Vaz Franco. A potência poética do personagem abria muitas possibilidades de entendimento e criação, especialmente, no trabalho de acrobacias circenses, linguagem de movimento que ele pesquisa há mais de uma década.

Agora, com a conquista do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, no primeiro semestre deste ano, Diogo passou a encarar o mito de frente e transportar a história para o corpo. O resultado deste processo ele apresenta no dia 15 de junho, às 19h30, no solo Prometeu, no Jurerê Sports Center (JUSC). A entrada é gratuita.

“O mito de Prometeu fala sobre o amor do criador sobre a criatura. Prometeu é um titã, com acesso a todos os privilégios das divindades, mas que tem o desejo de subverter essa relação desigual/desleal, sem se importar com as conseqüências. Ele abala o poder instituído através de brechas que encontra (ou cria). Seu ato maior foi ter roubado (ou devolvido) o fogo à humanidade. Prometeu sofre as consequências de seus atos, em nome do bem maior, como um mártir, um herói.”   Diogo Vaz Franco

“Dentro das artes circenses, não é comum ver espetáculos solo acrobáticos. A proposta deste projeto é trazer para o âmbito das acrobacias (aéreas e solo) o movimento já existente na palhaçaria: a atuação circense em espetáculos solo. A personalidade de Prometeu será revelada dessa forma. O personagem que sempre usa de artimanhas e estratagemas para ludibriar os deuses em prol da humanidade, me inspira no trabalho com acrobacias de solo, enquanto seu destino cruel em ser acorrentado a uma montanha por ter roubado o fogo dos deuses, remete diretamente às acrobacias aéreas. Assim como na Grécia Antiga, onde os mitos existiam como forma de entender a vida, acredito que a história serve como metáfora para pensarmos nossa realidade. Em nossa contemporaneidade, na situação política, social e ética que vivemos, podemos lançar mão desta figura histórica para pensar o mundo, e pensar em nós mesmos diante deste mundo”, contextualiza o artista performático.

O processo criativo

Livros, textos acerca do tema, poemas, discussões e interpretações. Foi vasto o material organizado na primeira fase do projeto e, logo após, diluído em elementos-chave que mapearam os personagens e os atos contidos no conto. “Estudamos as possíveis linguagens de movimentação. Trabalhamos dinâmicas, como por exemplo, a cena que Diogo atravessa alguns percursos pisando nos livros, remetendo ao roubo do fogo e o ato de levar o poder-conhecimento à humanidade. Selecionamos técnicas de elementos acrobáticos, criamos sequências, injetando toda a parte contextual e interpretativa do mito”, explica a diretora do espetáculo Nickolle Abreu.

Dos elementos presentes em cena, o fogo representa o poder do conhecimento e também a dualidade. Segundo o filósofo e músico Paulinho Brandão, que contribuiu com dramaturgia no processo criativo do espetáculo, a história questiona até que ponto o excesso de conhecimento não é o motor da desmedida ação do homem. E ainda lança a pergunta: “Como frear essa arrogância irracional que nos conduz? Essas reflexões, que a meu ver são questões atualíssimas, se pensarmos no desenvolvimento técnico que nos põe em xeque diante da natureza, são na verdades suscitadas no próprio mito de Prometeu”, argumenta.

SERVIÇO:

O que: Estreia do Solo Prometeu
Quando: 15 de junho
Horário: às 19h30
Onde: Jurerê Sports Center (JUSC), em Jurerê Internacional
Endereço: Av. dos Dourados, 481 – Jurerê, Florianópolis
Entrada: Gratuita
Vagas: 150 lugares

Ficha Técnica

Direção: Nickolle Abreu
Acrobata: Diogo Vaz Franco
Trilha Sonora: Hedra Rockenbach
Técnico: Jean Machado
Assessoria Dramatúrgica: Paulinho Brandão
Apoio: Circocan e Jurerê Sports Center

*** Texto com informações da assessoria de imprensa.

Fotos: Cris Prim

Continue Reading

Pesquisadora Ana Kreutzer fala sobre as cores de 2019 para o décor e a influência delas na vida das pessoas

Quando o assunto é cor, não existe certo ou errado. Tudo é permitido. A cor traz sensações e o seu uso é carregado de significados, principalmente na ambientação dos espaços.

Para Ana Kreutzer, pesquisadora, consultora e educadora de cores no Estúdio Prisma, as tendências estão aí, mas as pessoas não devem usar uma cor apenas porque ela está na moda.

“Copiar e colar uma tendência apenas pelo visual estético perde todo o sentido. Fazemos um estudo, uma análise do que está acontecendo e existem razões no por quê as pessoas estão preferindo algumas composições cromáticas, algumas tonalidades em relação a outras. As escolhas vão muito além da aparência estética das cores. Elas transmitem de forma subjetiva mensagens e conectam as pessoas com os sentimentos”, destaca a especialista, que estará em Florianópolis no dia 13 de junho, em uma conversa promovida pela Associação Brasileira de Designers de Interiores – Regional Santa Catarina (ABD SC), em parceria com a Suvinil.

Ana Kreutzer é pesquisadora, consultora e educadora de cores no
Estúdio Prisma

Ana, que também leciona cultura, teoria e prática da cor na Escola Britânica de Artes Criativas, falará sobre  “As cores de 2019”, a partir de pesquisa realizada pela marca de tintas decorativas parceira, e como elas podem influenciar na vida das pessoas. Aliás, Quentão – um amarelo terroso – é a aposta de cor da Suvinil. Além da cor do ano, são mais 32 tonalidades para compor a cartela de combinações. A ideia é estimular as pessoas a escolherem o que melhor representa sua personalidade. Por isso, desde o ano passado, a marca trabalha a cor do ano como algo mais democrático.

O evento, às 10h, na Sierra AB Home Florianópolis, é aberto ao público, com conteúdo direcionado a profissionais designers de interiores, arquitetos, decoradores, além de estudantes e professores da área. O bate papo é gratuito mediante inscrições pelo link http://www.abd.org.br/palestra-sc-as-cores-de-2019.

“O objetivo destes encontros é a valorização intelectual e a atualização do profissional, resultando em uma melhoria constante do mercado de interiores”, pontua Michele Pires, diretora da ABD SC,  entidade atuante há três anos em Santa Catarina e atualmente com 160 associados.

SERVIÇO
Palestra As cores de 2019 com Ana Kreutzer
Quando: Dia 13 de junho
Horário: 10h
Onde: Sierra AB Home Florianópolis – Rod. José Carlos Daux, 2.600
Promoção: ABD SC
Inscrições gratuitas: http://www.abd.org.br/palestra-sc-as-cores-de-2019

Continue Reading