Tufi Mousse estreia na CASACOR São Paulo com uma homenagem ao movimento Bauhaus

Uma imersão na herança Bauhaus. Assim é o espaço de 45m² criado pelo arquiteto catarinense Tufi Mousse, de Joinville, que este ano estreia na CASACOR São Paulo. O lounge Bauhaus 100 anos foi projetado com o intuito de proporcionar ao visitante um breve resgate do imenso legado produzido pela Escola Bauhaus, precursora do modernismo, e que em 2019 completou o seu centenário de história.

O espaço propõe uma leitura contemporânea dos preceitos modernistas propostos pela vanguardista escola alemã. A simplicidade demonstrada na escolha dos materiais, das cores e das linhas puras – retas e curvas plenas, marcam o ambiente e materializam a célebre frase do professor e coordenador da Bauhaus, Mies Van Der Rohe: “Menos é Mais”.

“O design e a arquitetura mundiais atuais são fortemente influenciados pelos ensinamentos disruptivos da centenária Escola Alemã Bauhaus”, explica Tufi.

Leia também sobre o projeto do Studio CasaDesign, de Balneário Camboriú, que assina a Casa OAK 02 na CASACOR São Paulo.

Prova disso é o grande painel feito em cerâmica pintada e queimada a 750°C para vitrificar a pintura, desenvolvido pelo artista plástico Fabricio Silva. Ele partiu de uma obra do americano Eric Fischl, intitulada ‘Daddy´s Gone Girl’, como referência visual. Assim, Fabrício realizou uma releitura desta obra para o ambiente, desenvolvendo um trabalho novo e único em seu estilo próprio.

CASACOR São Paulo 2019
Data: 28 de maio a 4 de agosto de 2019
Horários: Terça a sábado e feriados, das 12h às 21h. Domingo, das 12h às 20h
Local: Jockey Club de São Paulo – Av. Lineu de Paula Machado, 1075 – São Paulo

Fotos Romulo Fialdini

*** Texto produzido com informações da assessoria de imprensa do arquiteto Tufi Mousse

Continue Reading

Marcelo Salum e o Loft Árvore da Vida na CASACOR São Paulo 2019

Inspirado no filme A Árvore da Vida, do diretor Terrence Malick e estrelado por Brad Pitt e Sean Penn, o arquiteto catarinense Marcelo Salum buscou referências para o projeto do “Loft Árvore da Vida”, de 107m², na CASACOR São Paulo 2019.

“O filme faz uma reflexão filosófica de como os traumas que carregamos para nossa vida adulta estão ligados à nossa educação. Acredito que a casa, sendo uma de nossas camadas como a pele e a roupa, pode conter proporções e materiais que ajudem a curar esses traumas”, explica o arquiteto.

A busca da essência, dos primeiros aprendizados, da importância da família foram o ponto de partida para Salum projetar o ambiente. A referência mais marcante com o filme é vista no hall de entrada, quando o visitante se depara com uma árvore criada especialmente para o ambiente pelo artista plástico Alexandre Mattos. Um balanço ao lado traz diversas simbologias, entre elas a do desejo de liberdade e do reencontro com a inocência perdida.

Como o filme é situado nos anos de 1950, o arquiteto se inspirou na estética desta década. Assim, móveis de diversos designers como Domingo Tótoras, Charles Eames, Ana Neute, Cristiana Bertolucci, Jader Almeida, Sérgio Rodrigues, Antoni Arola e do Estudio Fresa – parceria entre os arquitetos Frederico Cruz e Salum – estabelecem um harmonioso diálogo com peças do Arnaldo Danemberg Antiquário, que ajudam a compor a atmosfera.

A marcenaria colorida, típica da época, abriga todas as funções do loft se apropriando da forma longitudinal do espaço. A cor escolhida pelo profissional para trabalhar o ambiente como um todo foi o amarelo, criando uma alusão ao sol já que a luz é fundamental para o crescimento da Árvore da Vida e, consequentemente, de todos os seres.

Assim, desde a iluminação (que dá um ar de aconchego para o espaço), até a laca da marcenaria, detalhes dos tecidos, cor das paredes, revestimento do banheiro, entre outros foram pensados no tom amarelo. Sendo um espaço sem luz natural, Salum apostou na criação de “janelas” revestidas com um produto fabricado com 95% de matéria prima reciclada, e que brinca com o efeito de luz e sombra, profundidade e dá um “respiro” ao ambiente.

Obras de arte por todo canto

As obras de arte foram escolhidas para fortalecer o conceito do loft. O hall de entrada é composto pelo vídeo instalação Natureza Morta, do artista uruguaio Diego de los Campos, da escultura Posse, de Vanderlei Lopes, e da fotografia Epidermic Scapes, de Vera Chaves Barcelos, além da árvore já citada acima. Na área social, composta pelo living, jantar e cozinha destaque para a instalação da artista Vivian Kass, com uma criação exclusiva de terrários com pedras e outros elementos, pendurados surpreendentemente nas paredes, da obra Litologias da Fernanda Valadares, da escultura O Instante é Semente Viva, de Shirley Paes Leme, da obra Candle II de Kilian Glasner, das porcelanas Galáxias de Elida Tessler, de duas esculturas intituladas Coluna #1 e Coluna #5, de Florian Raiss e a escultura Sem título e Natureza morta 1, de Camile Kachani.

Leia também sobre o projeto [Co.Dining] de Juliana Pippi na CASACOR São Paulo 2019.

No quarto, a composição foi feita pelas obras de Jeanete Musatti, das obras da série Tensão de Shirley Paes Leme, da escultura Cadeira Flor, de Fabiana Queiroga, das fotografias da série Prata sobre Pele, de Gal Oppido e da escultura Retrato a., de Monica Piloni. Além disso, algumas esculturas africanas de animais e da fertilidade reforçam o significado da Árvore da Vida.

CASACOR São Paulo 2019
Data: 28 de maio a 04 de agosto de 2019
Horários: Terça a sábado e feriados, das 12h às 21h. Domingo, das 12h às 20h
Local: Jockey Club de São Paulo – Av. Lineu de Paula Machado, 1075 – São Paulo

Fotos Salvador Cordaro

*** Texto produzido com informações da assessoria de imprensa do arquiteto Marcelo Salum

Continue Reading

Catarinenses do Studio CASAdesign assinam a Casa OAK 02 na CASACOR São Paulo 2019

Um olhar contemporâneo e simbólico sobre o morar. Este é o conceito que os designers Salvio Moraes e Moacir Schmitt, os Jrs., do Studio CASAdesign, apresentam no projeto da CASA OAK | 02, na CASACOR São Paulo 2019.

Uma residência completa de 185 m², ladeada por um jardim externo, assinado por Kalil Ferre Paisagismo. Aliás, o espaço rendeu a capa da revista CASACOR São Paulo 2019.

Para o projeto arquitetônico, a dupla incorpora 60m² de área construída às icônicas marquises do Jockey. A construção conta com um amplo living, uma cozinha e sala de jantar integrados, uma confortável suíte, e um bucólico jardim externo, que reforça a atmosfera de refúgio, pertencimento, além da sensação de estar por inteiro em uma casa.

Por isso, o teto e todas as paredes são revestidos em lâminas de carvalho natural. E é justamente dessa característica marcante que vem o nome do projeto: OAK, que em inglês significa carvalho. Criando uma dualidade cromática com a cor clara e amendoada da lâmina da madeira, o piso apresenta um aspecto de limestone originário da Bélgica, de um azul tão intenso que proporciona uma ilusão ótica que brinca com o olhar, fazendo-o parecer preto com variações em cinza escuro. Para uma atmosfera mais rústica, os profissionais utilizaram a modularidade do formato 20×20 com bordas irregulares.

Aliada à essa combinação, placas onduladas metálicas reaproveitadas foram utilizadas nas divisórias do dormitório e do banheiro, conferindo um visual industrial, elegante e moderno, reafirmando o caráter sustentável do espaço.

Fachada brutalista

A fachada da casa é um capítulo à parte: foi construída no estilo brutalista, com apenas um recorte de parede que forma um ângulo interno, surgindo dali a porta do ambiente, que convida os visitantes a conhecerem o espaço. A entrada também surpreende pela volumetria criada por meio de modernos tijolos, que têm uma proposta handmade, textura rústica e um leve brilho metalizado.

Na sala, um muxarabi emoldura uma linda cena. O mobiliário, com muitas peças produzidas artesanalmente, é minimalista com proporção equilibrada. A composição com tecidos claros, lâminas de madeira natural e peças em madeira rústica quebram o aspecto frio do industrial, tornando o ambiente mais acolhedor. Além destes elementos, a produção do ambiente chama a atenção com peças únicas e feitas à mão de diferentes origens e etnias, como Timor Leste e da Ilha de Bornéu (na Ásia), de Benin (Nigéria/África), da Turquia e das Filipinas, que trazem uma forte carga emocional ao ambiente.

Outro ponto de destaque são as obras de arte que pontuam o espaço, como uma grande pintura do artista João Di Souza e as caixas de Luisa Malzoni; a arte nordestina, que se faz presente através de Ramonn Vieitez; e a artista catarinense Fabiana Langaro Loos, um dos grandes talentos da cena abstrata das artes plásticas. Obras visualmente fortes, que ligam o ambiente à grandiosidade da natureza. Enfim, arte que inspira e atrai todos os olhares, pois retratam aspectos humanos do nosso cotidiano.

Construção sustentável

Explorando o conceito de sustentabilidade, os profissionais se valeram muito do recurso de luz natural, utilizando pouquíssimos pontos de iluminação em led para gerar economia de energia. Além disso, toda madeira usada no espaço é certificada e a construção é seca, feita em drywall. Tudo isso para reduzir os impactos ao meio ambiente.

O jardim assinado pela dupla de paisagistas Mauricio Ferre e Elaine Kalil segue à risca o estilo do ambiente. Plantas tropicais exploram a brasilidade e permeiam todo o espaço, trazendo uma atmosfera acolhedora e uma identidade visual marcante.

“Esta é a CASA OAK |02, um espaço para descanso, convívio e contemplação, para quem gosta de curtir a casa, receber amigos, ouvir um bom som e comemorar os bons momentos que a vida proporciona em harmonia com o lar […] É realmente um olhar contemporâneo do morar. Sinta-se em casa”, afirma Moacir Junior.

CASACOR São Paulo 2019
Data: 28 de maio a 04 de agosto de 2019
Horários: Terça a sábado e feriados, das 12h às 21h. Domingo, das 12h às 20h
Local: Jockey Club de São Paulo – Av. Lineu de Paula Machado, 1075 – São Paulo

Fotos Denilson Machado

*** Texto produzido com informações da assessoria de imprensa do escritório Studio CASAdesign

Continue Reading