Juliana Stringhini Ruchita apresenta Introspecções na Galeria Pedra

Depois de estrear a exposição Transborda no Instituto Juarez Machado, em Joinville, e no Museu da Escola Catarinense da Udesc (MESC), em Florianópolis, em 2018, a artista e fotógrafa Juliana Stringhini Ruchita apresenta quatro projetos na mostra Introspecções, que abre dia 10 de abril para convidados na Galeria Pedra, na Casa Quatro Oito, na Capital. A visitação estará aberta ao público no dia seguinte e pode ser vista até 2 de maio.

Fotógrafa há 15 anos, Juliana direcionou, há cinco anos, seu olhar para trabalhos mais artísticos e autorais. Introspecções é um conjunto de obras multimídia que envolve questões de como nos relacionamos com nós mesmos e com o ambiente em que vivemos.

“É um trabalho autoral de um processo interno que vivo. Acredito que a arte contemporânea precisa gerar reação e emoção ao espectador, seja de raiva, alegria, incômodo, rejeição. Essa mostra não se enquadra em um padrão estético plástico”, afirma a artista.

Projeto Movimento que silencia

Graduada no International Fine Arts College, de Miami, nos Estados Unidos, Juliana é uma profissional que já trabalhou com produção musical, dança, moda e fotografia. Nos últimos anos mergulhou em pesquisas mais avançadas para chegar à arte multimídia, com mentoring e curadoria do artista canadense Scott MacLeay.

Introspecções reúne quatro projetos: Ilusão das amarrasMovimento que silenciaNão sou finito (foto de abre do post) e Um estado claro de ambiguidade. A mostra reúne 26 obras de arte, sendo 21 impressões, quatro vídeos e uma instalação.

Projeto Um movimento claro de ambiguidade

SERVIÇO:
O quê: Introspecções, de Juliana Stringhini Ruchita
Onde: Galeria Pedra (Casa Quatro Oito) – Rua João Henrique Gonçalves, 1.005, Canto dos Araçás
Visitação: de 11/04 a 2/05
Horário: de terças a sábados, das 18h às 22h
Entrada gratuita

Continue Reading

Espetáculo Entrepartidas estreia em Florianópolis

Peça será encenada durante uma viagem de ônibus pelas ruas da cidade e abordará as relações humanas

Uma viagem sobre o amor e o abandono, sobre o efêmero das relações contemporâneas onde os personagens se encontram e se desencontram com o público e a cidade. Resultado de dois anos de pesquisa do grupo Teatro do Concreto, de Brasília, o espetáculo Entrepartidas, selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura, começa sua nova turnê. O desembarque desta vez é em Florianópolis, onde a peça será encenada entre os dias 21 e 24 de março.

Com três horas de duração e a participação de 15 atores, a peça tem início no Terminal Urbano Cidade de Florianópolis, no Centro. O roteiro se desenrola durante uma viagem de ônibus com paradas em diferentes pontos da capital catarinense.

Responsável pela renovação da linguagem cênica na região Centro-Oeste, Entrepartidas fortalece a pesquisa do Teatro do Concreto, ao longo dos últimos 16 anos de atividade, ligada à performance e à intervenção urbana.

“Nos interessa falar dos pequenos encontros, das paixões, do fim das relações. E a cidade é o lugar onde isso acontece. Entrepartidas é um encontro com a cidade, é também uma oportunidade de vivenciá-la de outra forma, pois a cidade é uma questão para a sociedade, ela também quer participar”, define o diretor Francis Wilker sobre a dramaturgia assinada por Jonathan Andrade.

São três horas de espetáculo, encenado dentro de um ônibus. A peça tem início no Terminal Urbano da Cidade de Florianópolis. Durante o trajeto pela cidade ocorrem várias paradas

Nesta formatação, a peça ocorre em espaços públicos, ampliando ainda mais o alcance da plateia em diferentes locais, e também em ambientes fechados, sujeitos à lotação de 30 pessoas. As apresentações serão encenadas independente das condições climáticas* e contarão com instrumentos de acessibilidade para deficientes auditivos (Libras) e, na sexta-feira (dia 21), com audiodescrição para deficientes visuais. Os ingressos custam R$ 20 e estarão disponíveis para compra no site www.sympla.com.br

Entrepartidas ganha as ruas do país a partir da seleção pública do Programa Petrobras Distribuidora de Cultura, em parceria com o Ministério da Cidadania, cujo objetivo é contemplar projetos de circulação não inéditos. No último edital foram investidos R$ 15 milhões na escolha de 57 espetáculos representantes de todas as regiões do Brasil e com encenação em todos os estados.

Além das quatro apresentações, uma delas exclusiva para uma escola pública da cidade (dia 21), participante também de uma ação de mediação, e as outras três para o público em geral (de 22 a 24), o Teatro do Concreto promove ações gratuitas com estudantes e artistas de Florianópolis:

A atividade EntreOlhares será conduzida com alunos do Ensino Médio de uma escola pública da Capital com o objetivo de formação de plateia a partir de três momentos distintos conduzidos pela arte educadora Paula Gotelip com assessoria pedagógica de Glauber Coradesqui. Num primeiro momento, a oficina Cartografia de Afetos levará os alunos a vivenciar o trajeto do espetáculo e suas percepções sobre estes espaços e a cidade; em seguida, eles irão assistir à primeira apresentação de Entrepartidasem Florianópolis, no dia 21, para que possam refletir sobre os temas e as questões levantadas pela peça em seu diálogo com o tecido urbano. Para finalizar, produzirão uma carta à cidade que será exposta no site do Teatro do Concreto, assim como nas mídias sociais do grupo.

Fotos: Diego Bresani

SERVIÇO

Entrepartidas
De 21 a 24 de março de 2019 (a sessão do dia 21 é exclusiva para estudantes)
Hora: 19h30min
Local (embarque e desembarque): Terminal Urbano Cidade de Florianópolis
Endereço: Rua Antônio Luz, s/nº, Centro, Florianópolis
Capacidade: 30 pessoas
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) pelo site www.sympla.com.br 
Duração do espetáculo: 3h
Classificação indicativa: 16 anos


Continue Reading

Ganhador do prêmio internacional Riba 2018 participa da Agenda do Design do CasaHall Design District

Arquiteto Pedro Duschenes, do Aleph Zero, um dos escritórios responsáveis pelo premiado projeto Moradias Infantis, realizado no Tocantins, vem a Balneário Camboriú dia 14 de março para um bate papo gratuito com profissionais da área

Mais do que simplesmente executar uma obra arquitetônica para atender uma demanda específica, é ver como a arquitetura, na sua essência, também tem o poder de transformação social. Um exemplo é o projeto Moradias Infantis, executado no Tocantins, uma co-criação entre os escritórios Aleph Zero e Rosenbaum. O trabalho que acaba de conquistar o prêmio do Instituto Real de Arquitetos Britânicos – o Riba 2018, será tema da programação da Agenda do Design do CasaHall Design District neste mês de março.

A convite, o arquiteto Pedro Duschenes, um dos titulares do Aleph Zero, participa no próximo dia 14, às 19h30, de um bate-papo com profissionais de arquitetura e design. Na pauta, detalhes sobre o processo criativo da obra de 23.344,17 m2, realizada na comunidade de Formoso do Araguaia.

Arquiteto Pedro Duschenes do escritório Aleph Zero
Foto: Vinicius Postiglione

“Ter o reconhecimento de uma das principais associações de arquitetura no mundo evidencia a coerência do trabalho realizado e aponta que as questões levantadas, embora profundamente ligadas aos problemas locais, reverberam para além das fronteiras nacionais”, pontua Duschenes sobre a conquista do Riba 2018.

O Aleph Zero – hoje com unidades em Curitiba e São Paulo – atua em áreas que abrangem desde o desenho de mobiliário, exposições, arquitetura residencial e comercial até projetos de escala urbana, tanto para clientes do setor público quanto do setor privado. O escritório que já conquistou várias premiações ao longo dos anos foi, inclusive, vencedor do Concurso Nacional de Arquitetura para o Vão Central do Mercado Público de Florianópolis. O mesmo projeto foi finalista do 4° prêmio de arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel.

Interessados em participar da conversa com Pedro Duschenes podem fazer as inscrições gratuitamente pelo link https://www.even3.com.br/agendadodesign. A programação das próximas palestras mensais pode ser acompanhada nas mídias digitais do CasaHall.                                                                        

Pormenores do projeto premiado Moradias Infantis

O Moradias Infantis surgiu para atender às necessidades de estudantes, de 13 a 18 anos, da escola de Canuanã, que é mantida pela Fundação Bradesco. Devido às dificuldades financeiras e grandes distâncias inerentes ao local, a maioria das famílias não tem condições de se deslocar diariamente até o local. Por isso, além de ambiente de estudo, a instituição assumiu também a função de casa. E aí nasceu o projeto, a fim de criar uma estrutura adequada para os alunos do complexo escolar.

Segundo Duschenes, o ponto de partida foi compreender as riquezas e contradições do local, o que foi possível graças a duas grandes viagens de imersão e de um processo colaborativo com alunos, pais, professores e funcionários da escola.

“Nestas visitas observamos a necessidade de se re-estabelecer a valorização da cultura local, do senso de pertencimento, desenvolvimento da noção de individualidade e de fomentar o entendimento dos alojamentos como uma casa de fato, não como complementação do local de estudo”, explica o arquiteto.

A implantação das novas moradas visou reorganizar a distribuição programática da escola diferenciando o eixo educacional do eixo habitacional. Organizado em duas vilas, uma masculina e outra feminina, o novo layout dos quartos, com menos alunos por unidade (seis), permitiu maior conforto e facilitou o desenvolvimento de um senso de individualidade que faltava nas instalações anteriores.

Na construção que durou 14 meses, destaque para a utilização de madeira laminada colada em sua estrutura (uma das maiores obras com madeira da América Latina), e tijolos de solo cimento fabricados com o terra do próprio local. Além dos dormitórios e banheiros com capacidade para 270 meninos e 270 meninas, o complexo ganhou também espaços de convívio como sala de TV, espaço para leitura, varandas, pátios, redários.

“A arquitetura complementa o importante projeto educacional realizado pela Fundação Bradesco. Ela busca também atuar de forma didática, mostrando em seus encontros e detalhes um modo de construir. Espera-se que essa forma de fazer o espaço permeie as experiências dos alunos, para que se sintam de alguma forma compreendidos e abrigados nesse novo local e que possam levar isso para além do período escolar”, finaliza Duschenes.

SERVIÇO
Agenda do Design – CasaHall Design District
Palestra com arquiteto Pedro Duschenes, do Aleph Zero
Quando: 14 de março, 19h30
Público: Arquitetos, Designers, Decoradores
Inscrições gratuitas pelo link:  https://www.even3.com.br/agendadodesign


Fotos do complexo escolar: Leonardo Finotti

Continue Reading