Tapumes de obras viram arte. Que tal replicar por aqui, hein!?

Outros olhares, novas possibilidades para o velho, o acomodado. Cada vez mais falamos em transformar a cidade e criar ambientes para as pessoas viverem a rua, e compartilharem espaços públicos. Sendo assim, acredito que o projeto Arte na Cidade tem tudo a ver com essa proposta mais que necessária para os dias atuais.

Nada melhor do que envolver a comunidade na promoção da cidadania. E arte nesta horas costuma ser pecinha indispensável. Com iniciativa de uma construtora e incorporadora – a Kallas – pontos de grande circulação passam a ser valorizados de forma peculiar. O conceito inovador troca os antigos tapumes de construção por obras de arte elaboradas em material totalmente reaproveitado. Neste caso especificamente entra a reutilização de materiais comumente descartados em lixos e caçambas. A ideia, além de trazer beleza para a cidade, promove a geração de renda e oportunidades para a comunidade e artistas.

Desde que iniciou suas atividades, o Arte na Cidade, que conta com a parceria dos coletivos CafeNaRua, Estúdio Buriti, Conexão Cultural e Pimp My Carroça, já atende empreendimentos na região do Panamby e outro na rua João Moura. Mais do que levar arte para as ruas de São Paulo, o projeto se diferencia por reutilizar materiais coletados por catadores de lixo, destinando-os para a construção de muros lúdicos e coloridos. A participação da vizinhança, que doou objetos, e a intervenção artística dos grafiteiros Alex Romano e Felipe Risada são pontos positivos do projeto.

Para a gerente institucional da empresa, Tatiana Kallas, promover uma relação harmoniosa e saudável entre as pessoas e as cidades é uma busca incansável na concepção de cada empreendimento.

– Estamos sempre conectados com o novo, buscando soluções alternativas, nos preocupando com a qualidade de vida das pessoas e com a beleza das cidades. Esses princípios norteiam nosso trabalho e nos movem para continuarmos seguindo nossos objetivos – afirma.

ENTENDA MELHOR O PROJETO

Para a iniciativa ganhar forma, o artista Rodrigo Machado, do Estúdio Buriti, organizou e instalou uma série de materiais reutilizados que foram arrecadados com apoio do Pimp My Carroça (do artista Mundano). Materiais como portas e janelas retiradas de caçambas e demolições foram fornecidos por catadores da vizinhança para construir o tapume lúdico e colorido.

Em seguida, os grafiteiros Alex Romano e Felipe Risada fizeram intervenções no muro, incluindo frases com os 12 critérios para determinar o que é um bom espaço público (do livro New City Life, conceito trazido para o Brasil pelo projeto “Cidade para Pessoas”).

 

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *