Casa Nova 217

Bom dia leitores e amigos deste blog,

hoje é dia 26 de janeiro – minha nossa, o tempo voa – e temos caderno Casa Nova, encartado no Diário Catarinense.

A matéria de capa mostra o projeto de interiores assinado pela jovem arquiteta Roberta Zimmermann, que recebeu carta branca para realizar o trabalho numa cobertura no bairro Cacupé, em Florianópolis. Em tempos de vida moderna, ela não poderia deixar de explorar o potencial da região: a linda vista! O cenário é meio que uma extensão de todo social e, às vezes, mais parece uma tela pintada. Mesmo sem sol, no dia que foram feitas as fotos, percebe-se o quão o lugar é inspirador e, mais do que isso, motivador. Nas páginas centrais da edição 217, confira as soluções propostas pela profissional, que investiu na arquitetura contemporânea, sem esquecer do toque clássico.

O caderno de hoje fala também sobre o uso versátil das pastilhas de vidro e de porcelana. O mercado oferece uma variedade de modelos que fica difícil optar apenas por um. Usadas como revestimentos, as pastilhas têm uma particularidade: deixam qualquer projeto com um “q” a mais. As cores e texturas possibilitam desenhos singulares e, melhor, elas cobrem fachadas de prédios, piscinas, piso de garagem, mobiliário sob medida – a exemplo das bancadas de cozinhas e banheiros, paredes dos mais diferentes ambientes e ainda tornam-se obras de arte. A colocação é artesanal e o resultado sempre impressiona. É peculiar!

Gosta de tapetes? Eles vestem a nossa casa, deixam-a mais aconchegante. Quando estávamos produzindo esta matéria, conversando com um empresário do segmento, ele fez um comentário interessante: as pessoas quando vão comprar algo costumam querer tocar para sentir o produto, como se vissem com as mãos; no caso dos tapetes, o empresário sugere que seus clientes toquem o produto, mas com os pés, no caso, “vejam com os pés”. Pura verdade… Então, lembrem-se: ao comprar tapetes, pise, sinta com seus pés….

Já ouviu falar na badalada Posh, recém-aberta em Florianópolis? Conversamos com a arquiteta responsável, Taty Iriê, da Capital, para saber o que norteou a decoração dos ambientes da boate “chique”.

Leia o DC de hoje e colecione o seu Casa Nova! Sugestões de assuntos para produção de matérias também são bem-vindas! Participem!

beijos e até breve!

Jana Hoffmann

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *