Uma segunda-feira surpreendente!

Sabe quando você nem espera e o teu dia começa melhor do que imaginava que pudesse ser? E isso, numa segunda-feira? Hoje, dia 30 de novembro, acordei e, como de costume, sentei-me no sofá da sala, liguei a TV e mesmo antes de mudar o canal, o filme que passava chamou-me a atenção. Comecei à assisti-lo e não parei nem para fazer meu café da manhã, que tanto estimo. Quando percebi, estava envolvida e nem sabia o nome daquele filme que já havia começado. Ou seja, de uma parte qualquer, num dos canais do Telecine, comecei a assistir ao filme. Na minha opinião, uma obra cinematográfica indispensável, única, apaixonante, de arrepiar e emocionar ao máximo. Assim é “O Amor nos Tempos do Cólera“, direção de Mike Newell, inspirado no livro homônimo do escritor Gabriel García Marquez. O filme tem a participação da atriz brasileira Fernanda Montenegro. E mais, muito mais: Javier Bardem, Giovanna Mezzogiorno, Benjamin Bratt e Catalina Sandino Moreno.

Do que trata? De amor, um amor especial:

Diz a sinopse: 

Florentino Ariza (Javier Bardem) ainda jovem se apaixonou perdidamente por Fermina Daza (Giovanna Mezzogiorno). Entretanto, como Florentino apenas trabalha numa agência dos Correios, ele não é visto como um bom partido por Lorenzo Daza (John Leguizamo), pai de Fermina. Florentino pede Fermina em casamento, e ela aceita. Ao saber disto Lorenzo a envia para a fazenda de sua prima Hildebranda Sanchez (Catalina Sandino Moreno), onde fica alguns anos. Florentino aguarda o retorno de sua amada mas, quando a reencontra, ela diz que nada quer com ele. Fermina passa a ser cortejada por Juvenal Urbino (Benjamin Bratt), um médico que luta para evitar a disseminação da cólera. De início ela não se interessa, mas posteriormente eles se casam e constituem família. Simultaneamente Florentino aguarda que Juvenal morra, para que possa enfim se casar com seu grande amor.

Entre tantas belíssimas frases de Gabriel García Marquez, escolhi esta, que numa simplicidade de palavras consegue ser tão verdadeira e profunda no sentido:

“O coração tem mais quartos do que uma pensão de putas”

O filme é pleno em todos os sentidos… mudou para melhor meu início de semana… fala de amor, de como esse sentimento é simples, arrebatador e que independente do tempo, deve ser vivido com intensidade…

Como diz a frase de lançamento do filme: QUANTO TEMPO VOCÊ ESPERARIA POR SEU AMOR?

Acompanhe o trailer e não deixe de ver a obra e, se não leu o livro – como eu – o leia.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=kkS3HuDL5Y8]

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *